JUDICIÁRIO ELITISTA
“Bom senso” da Justiça brasileira é machista, racista e discriminatório, diz pesquisadora
Dodô Calixto - 30/07/2014 - 10h20

Ao analisar o tratamento desigual dado pelo Judiciário brasileiro, a pesquisadora da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), Jacqueline Sinhoretto afirma que Justiça Criminal no Brasil se apresenta extremamente centralizada e elitista quando julga as causas dos mais pobres. Autora do livro “Justiça Perto do Povo”, que narra o fracasso da reforma judiciária na década de 90, Jacqueline participa nesta quarta-feira (30/7) do 8º Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que ocorre na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo.

Leia também: Estudo indica racismo institucional da PM de SP

“Existem pessoas – os mais pobres - cujas causas serão tratadas informalmente, muito distante do primado do Direito. Elas serão julgadas por um “bom senso”, que na Justiça brasileira é machista, racista e discriminatório”, critica Sinhoretto.

Para Jacqueline, o fracasso do projeto de democratização do judiciário brasileiro na década de 90 contribuiu para a Justiça Criminal do Brasil manter sua característica “extremamente centralizada e elitista”. “O direito prevê que as pessoas terão acesso ao Judiciário, suas causas vão ser levadas a sério, vão criar jurisprudência, eventualmente até chegando a ser discutidas no Supremo. Mas para os pobres o tratamento é diferente. Eles são julgados por esse 'bom senso', que no Brasil está ligado ao senso comum e é violento”, analisa.

Assista a entrevista da pesquisadora da UFSCar à Alameda Editorial.

Publicado em 2011 pela Alameda Editorial, o livro “A Justiça perto do povo: reforma e gestão de conflitos” é resultado da tese de doutorado, que teve como objeto de análise o projeto de reforma da Justiça que resultou na criação dos CIC (Centros de Integração da Cidadania).

A partir da formulação do conceito de campo estatal de gestão dos conflitos, Jacqueline analisa as principais alterações nos serviços de Justiça das duas últimas décadas, como a criação dos juizados especiais e as formas alternativas de administração de conflitos. A obra foi publicada com o apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

A Justiça perto do Povo - Reforma e Gestão de Conflitos
Autor:
Jacqueline Sinhoretto
Editora: Alameda Editorial
Quanto: R$ 65,00

Compre na Livraria Última Instância por R$ 55,25

Tags: ,
Deixe seu comentário


Apoiadores
Siga a Última Instância