TRÂNSITO
Haddad veta fim do rodízio de veículos em São Paulo
Câmara de Vereadores aprovou projeto na quarta (28/5); prefeito afirma que medida é importante para redução do trânsito
Da Redação - 31/05/2014 - 13h34

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vetou integralmente o projeto de lei 15/06 aprovado pela Câmara Municipal de São Paulo no último dia (28/5) que propunha a revogação do rodízio municipal de veículos na cidade. A decisão foi publicada neste sábado (31/5) no Diário Oficial do Município.

No texto, das razões de veto, Haddad argumenta que rodízio do trânsito “tem se mostrado relevante para a redução de trânsito e diz que qualquer modificação deve necessariamente estar respaldada por estudos técnicos e associada a outras políticas públicas”. O prefeito também diz que “por se tratar de medida que afeta diretamente vasta parcela dos paulistanos, sua extinção deve ser precedida de amplo debate com a sociedade e estar aliada a outras ações que assegurem a adequada mobilidade de seus cidadãos”.

O vareador Adilson Amadeu (PTB), idealizador do projeto, afirmou que o rodízio de veículos em São Paulo não cumpre mais a função que tinha na época de sua implantação, pois quem tem condições financeiras adquiriu mais de um carro para circular nos dias de restrição. 

Diante da repercussão negativa dessa aprovação, na quinta-feira (29/5), o presidente da câmara José Américo (PT) anunciou que não vai mais permitir a votação simbólica “de propostas para julgar polêmicas”. “Eu vou pedir a votação nominal. Não vou mais deixar isso (aprovação sem discussão) acontecer”, afirmou o petista.

Carros híbridos

A votação na Câmara ocorreu na mesma semana que o prefeito aprovou uma lei de incentivo ao uso de carros híbridos. A regulamentação pode excluir esse tipo de veículo do rodízio municipal.

A lei também prevê a devolução integral do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), referente aos cinco primeiros anos de tributação do veículo em questão.  

Deixe seu comentário


Apoiadores
Siga a Última Instância