Sábado, 22 de novembro de 2014

Especial Exame OAB

Complexo Educacional Damásio de Jesus

Professor recomenda que candidato comece prova da 2ª fase pela peça profissional

12 de março de 2012

por Paulo Cézar Pastor Monteiro

O candidato deve reservar pelo menos metade do tempo da prova – cerca de três horas – para a resolução da peça e deve começar a prova por esse item, recomenda o professor Darlan Barroso, coordenador do curso preparatório do Exame da OAB do Complexo Educacional Damásio de Jesus. A elaboração de uma peça vai ser cobrada no dia 25 de de março na prova prático-profissional da 2ª fase do Exame.

“É bom começar fazendo a peça porque nas primeiras horas é quando se está mais tranquilo e atento. Quando for resolvê-la, o candidato deve responder direto no caderno de respostas. O rascunho deve ser usado somente para montar o esqueleto da resposta”, explica.

Pequenos cuidados podem fazer diferença na hora do exame, explica o professor. “O candidato tem que ir devidamente preparado para o dia prova. Coisas simples como desconhecer o formato do caderno de questões pode fazer diferença no resultado final”, comenta.

Leia mais:
Professor recomenda que candidato comece prova da 2ª fase pela peça profissional
Saiba qual material de consulta é permitido na 2ª Fase do Exame da OAB
Saiba como aproveitar o tempo de estudo para a 1ª e 2ª Fase

A peça prático-profissional vale metade da prova, o que equivale a cinco pontos dos dez possíveis. A outra metade da nota está dividida entre quatro questões, que valem 1,25 cada.

Quanto aos materiais a serem utilizados no dia do exame, Barroso orienta que os alunos levem um Vade Mecum (conjunto de códigos e legislação completa) e um código específico da área escolhida na 2ª Fase. “O material é importante para ajudar na fundamentação das respostas”, salienta.

Outra recomendação é que os alunos leiam o anexo III do edital da prova, o qual traz as orientações sobre os procedimentos permitidos e proibidos no dia do exame. “Muitos alunos fazem perguntas usando expressões como ‘eu ouvi dizer…’ ou ‘falaram para mim’. O candidato não pode confiar nesses boatos, ler o edital é uma boa maneira de evitar essas dúvidas e confusões”, orienta.

O professor também aconselha que o aluno leve uma caneta reserva, um lanche leve e, antes de começar a prova, leia com a atenção a lista de orientações do caderno da prova.

Tags: ,

Comentários